É preciso rever o vale-cultura

Ideia 91 de 99.

O Vale-Cultura é um programa implementado pelo antigo Ministério da Cultura em 2012 a qual regulamentava a criação de um benefício aos trabalhadores das empresas que aderissem ao programa, em compensação as organizações teriam dedução fiscal nos impostos.


O programa foi lançado com muito entusiasmo e na época de lançamento houve ampla divulgação para comunicar as empresas o funcionamento do benefício. O programa teve como objetivo incentivar o consumo de cultura na população ao tornar vantajoso para as empresas oferecer tal benefício.


Quase 10 anos após seu lançamento, o vale-cultura não foi disseminado nas empresas quanto poderia, conforme apontado pelo estudo realizado pela empresa QualiCorp em seu 28º relatório, apenas 3% das organizações ofereciam o benefício aos seus funcionários.


Desde o início do programa não houveram alterações significantes que corrigisse os problemas e facilitassem a adesão, tanto para empresas que quisessem oferecer aos seus colaboradores, tanto para estabelecimentos culturais para aceitar o cartão.


As próprias diretrizes estabelecidas restringiram o seu potencial de impacto, como a limitação de crédito de até R$50,00 ou a concessão para diversas empresas que administram os cartões, cujas maquinas de transação não estão presentes na maior parte dos estabelecimentos culturais.


O resultado disto foi que somente alguns equipamentos culturais aceitam os cartões e dos que aceitam apenas uma minoria atende todas as principais bandeiras (Ticket, Alelo e Sodexo), ou seja, a probabilidade de um usuário do cartão não conseguir usar o equipamento cultural preferido com seu benefício era grande, tornando o vale-cultura um produto sem valor.


A falta de políticas de incentivo e conscientização sobre a importância de consumir cultura, tanto pelo governo como pelas empresas, acabaram contribuindo também para que o benefício não fosse um produto atrativo ao trabalhador. Como a maior parte dos brasileiros não tem o costume de frequentar ambientes culturais, dar crédito não é o suficiente para criar um hábito. Estimula sim, porém é insuficiente para de fato causar uma mudança de comportamento.


Não somente o programa precisa de uma revisão como precisa que sejam considerados todos os agentes que participam dele e suas necessidades, pois assim como em outras cadeias o programa só pode funcionar e crescer se todas as partes forem satisfeitas: empregadores, empregados e espaços culturais.


© 2020 por Clubean

  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone LinkedIn
  • Preto Ícone Facebook